Em Todos os Sentidos

“Em todos os sentidos” tem consistência, assim como a voz de Paulo Vinícius, que passeia da canção romântica à de sabor regional sem nunca perder o tom. Versátil na escolha do repertório, Paulo é coerente em suas interpretações. Gosto, particularmente, da faixa título, composição sobre um amor irrealizado, de beleza perturbadora. O dueto com Diana Miranda em Templo de Saudade é de uma delicadeza comovente. Canción de La Luna também me pegou, tanto pela melodia, quanto pela melancolia que há na letra. A Queda
01 - Juízo dos Homens

Paulo Vinícius, Hugo Leão e Geffe

QUANDO EU ERA PEQUENO E CAUSAVA ALGUM PREJUÍZO
SEMPRE ALGUÉM ME PROTEGIA, ME TIRAVA DO CASTIGO
E COM UM SORRISO APOSTAVA, QUE EU INDA CRIAVA JUÍZO

E FUI PELA VIDA CRESCENDO, E JÁ QUE O TEMPO NÃO PÁRA
CRIEI MEU PRÓPRIO CAMINHO E A SUA SENHA EM SEGRÊDO
CRIEI NA CORAGEM NOS MEDOS, E ATÉ VERGONHA NA CARA

CRIEI RIMAS PRA OS VERSOS E ALGUNS VIRARAM CANÇÃO
PELOS MEUS PÉS CRIEI GOSTO, E RUGAS PARA MEU ROSTO
SILÊNCIOS PARA MINHA VOZ E CALOS PRA O CORAÇÃO.

MAS EU NUNCA CONSEGUI, CRIAR O JUÍZO DOS HOMENS
ELES JAMAIS ME DISSERAM, O QUE ESSE JUÍZO COME
E COMO SEMPRE NO FIM, JUÍZO MORRIA DE FOME

CRIEI ASAS PARA MEUS SONHOS, FAMA DE BOM E RUIM
CRIEI FESTAS, FUNERAIS, CRIEI TORMENTAS E CAIS
E ATÉ MESMO SEM SABER, CRIEI COBRA EM MEU JARDIM

CRIEI CONDIÇÕES PRA FICAR, E SITUAÇÕES PRA FUGIR
CRIEI CABELOS COMPRIDOS, JÁ CRIEI LAÇOS DE NÓS
CRIEI HISTÓRIAS DE HERÓIS, PRA VER MEU FILHO DORMIR

FINGINDO QUE TINHA MORRIDO CRIEI MEU JUÍZO FINAL
E NO JUÍZO DE DEUS CRIEI CONSCIÊNCIA ENFIM
E SEI AGORA AFINAL, O JUÍZO QUE ELE FAZ DE MIM.

MAS EU NUNCA CONSEGUI, CRIAR O JUÍZO DOS HOMENS
ELES JAMAIS ME DISSERAM, O QUE É QUE O JUÍZO COME
E COMO SEMPRE NO FIM, JUÍZO MORRIA DE FOME

02 - Leveza de Ser

Paulo Vinícius e Dida Fialho

QUANDO EU FOR VIAJAR PRA BEM LONGE
NÃO SE ASSOMBRE QUE O TEMPO VAI PASSAR
É FATAL, VOCE VAI ESQUECER DO MEU NOME
BABY NÃO SE ENGANE QUE O AMOR NÃO ACABA
ELE APENAS DESABA EM NOVO COMEÇO
E NOUTRO ENDEREÇO
MODIFICA SEU PREÇO
E NO TERCEIRO TERÇO
A VIDA É ESTRADA.

MINH’ALMA DE AÇO, LAVO COM CHAMPAGNE
NOS PASSOS DE UM TREM, DE AVIÃO OU A PÉ
VOU SEGUIR ATÉ QUE A SOMBRA ME ACOMPANHE
MEU AMOR NÃO ESTRANHE, NÃO SOU PRISIONEIRO
DE TRINTA DINHEIROS, SÓ DA LIBERDADE,
DA FÉ NA AMIZADE,
DA MINHA VONTADE,
DA CUMPLICIDADE,
DA FIDELIDADE,
AO MEU JEITO DE SER.

BILLY SHAKE PERDÃO, SUA INDECISÃO NÃO ME ESPERA
MILÃO QUEM DERA…MILÃO… QUEM DERA…MILÃO QUEM DERA

03 - Em Todos os Sentidos

Paulo Vinícius e Hugo Leão

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: QUINTETO UIRAPURU

QUANTOS SABORES E GUARDAM DE UM BEIJO
E QUANTOS AMORES NASCERAM DE UM DESEJO
QUANTOS CONSERVAM NO HÁLITO, UM TOQUE SUTIL
SENTIDO DE FATO, SEM NENHUM DIREITO
QUE NO TATO DOS LÁBIOS NADA CONCLUIU

DAS VEZES EM VÃO QUE SE TENTA COLAR
A FITA DO FILME QUE SE ESTAVA A SONHAR
E EM SILÊNCIO QUANTAS VOZES SE OUVIRAM
TANTO SEGREDO ENTRE O CORPO E AS MÃOS
QUE NO PENSAMENTO TANTAS VEZES, SE VIRAM

POR QUAL SENSAÇÃO EU FUI SER ESCOLHIDO
PRA QUERER TER VOCÊ EM TODOS OS SENTIDOS
TODAS SENSAÇOES ME FIZERAM ESCOLHIDO
PRA QUERER TER VOCÊ…EM TODOS…
TODOS OS SENTIDOS

04 - Amor Perene

Paulo Vinícius e Hugo Leão

AMIGO, ÁGUA DE RIO, PERENE,
SERENO MONGE QUE O TEMPO E SOL
ÀS VEZES LEVA PRA LONGE, DISTANTE
MAS QUE PROFUNDO SE GUARDA

AMOR, É ASSIM COVA RASA
QUE NA ÁGUA LIGEIRO SE VÊ
A VIDA, COM SABOR DE CASA

TRITURA NOSSOS DEFEITOS
NOS FAZ MENINOS DE DIA
NOS FAZ PARECER PERFEITOS
AMOR, AMIGO, É POESIA

05 - Canción de La Luna

“Canto de Luz” Paulo Vinícius e Hugo Leão

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: QUINTETO UIRAPURU

CUANDO ES MADRUGADA
Y YO SÉ QUE DUERMES
TU PIEL DE SEDA
ARREBOL DEL DÍA
BRILLO QUE ME ALUMBRA
GUIA GIRASOLES
PERO UN DÍA SIN QUERER
NUESTRO CIELO ÓSCURECER
ESE PUENTE POR NOSOTROS ERGUIDO
ATRAVIESSE LAS SOMBRAS
HAGO LA LUNA HACERSE EN SOL
MISMO AÚNQUE SEA NOCHE
OTRA VEZ VOY A DECIRTE
AMOR MIO… BUEN DÍA

06 - Atlântida ou Paris

Paulo Vinícius e Alex Madureira

SE ESTA NOITE O VENTO NÃO SOPRAR
OS NAVIOS DORMIRÃO NO CAIS
NÃO SINGRARÃO O ESPELHO DOS CÉUS
SE A CORTINA DAS NUVENS RASGAR
UMA GOTA DE LUAR DERRETER
E CAIR SOBRE OS OLHOS DA MARÉ
AS AREIAS DO FUNDO DO MAR
TÃO SEDENTAS DE LUZ VÃO BRINDAR
E AS SEREIAS EM FESTA SERÃO
VAGA-LUMES DO REINO ABISSAL

ATLÂNTIDA ,
ATLÂNTIDA ,
SERÁ PARIS ?

QUANDO A PEDRA DE SAL SE AJUNTAR
COM A PRATA A BANHAR SEUS CRISTAIS
COLOSSAIS ARCO-ÍRIS FORMAR
CAVALEIROS MARINHOS TEMPLÁRIOS
COM SEUS ELMOS E PEIXES-ESPADAS
EMERGIREM NA PAZ DO OCEANO
SEM AS MANCHAS DO SANGUE DA TERRA
NEM DOS LEMES QUALQUER CICATRIZ
AS ESTRÊLAS DO MAR VÃO LUZIR
E DO ESPAÇO UMA VOZ SE OUVIRÁ,

ATLÂNTIDA !…
ATLÂNTIDA!…
SERÁ PARIS
ATLÂNTIDA
PERDIDA ATLÂNTIDA…
SERÁ PARIS ?

07 - Xote do Abraço

Paulo Vinícius e Hugo Leão

UM ABRAÇO PODE SER UM LAÇO
NO MESMO ESPAÇO TAMBÉM PODE SER UM NÓ
SENDO SÓ LAÇO O ABRAÇO QUANDO É DADO
ELE VEM TODO ENFEITADO MAS, PORÉM, FINITO
SE FOR SÓ NÓ O ARRÔCHO É ARROCHADO
MAS DE TANTO QUE APAERTADO SE TORNA CONTRITO

NO SEU ABRAÇO DE UMA VEZ SÓ
SINTO A BELEZA DE UMA VEZ SÓ
VEJO A FIRMEZA DE UMA VEZ SÓ
COM VOCÊ TENHO A CERTEZA DO LAÇO E DO NÓ

08 - Mérito ao Pretérito

Paulo Vinícius, Hugo Leão e Beto Brito

VIVERA COMO JUSTO DEVERA
IMPOSTARA A VOZ DA LISURA
CASSARA A ABJETA IMPOSTURA
ENERVARA O PODER DA QUIMERA
NADARA NO SANGUE DA FERA
TROUXERA O VALOR DA ESPERA
ERGUERA MAIS NOVA BANDEIRA
VENCERA QUEM O AMEAÇARA
APLICARA O QUE CEDO APRENDERA
NASCERA NAS EMAS QUE CORARA
DEIXARA NOS TEUS TUA SAGA
ENCHERA DE ORGULHO O SERTÃO
REMARA NAS ÁGUAS DA GLÓRIA
LEVARA FUTURO AO PRETÉRITO
EMERGIRA MAIS QUE PERFEITO
INGRESSARA DE VEZ NA HISTÓRIA

09 - A Queda do Mago Simão

Paulo Vinícius, Paulinho Ditarso e Alex Madureira

A ADAGA DA SAUDADE HÁ DE SEMPRE ATRAVESSAR
TODAS AS ETERNIDADES ELA AINDA VIVE AQUI
RASGANDO DENTRO DO MEU PEITO E MINHA PELE DE RESPOSTA
NA CADÊNCIA SINCOPADA DAS MARACAS D`UN MARIAGE
NOS GUIZOS NO TORNOZELO DA DANCARINA DE SHIVA
PONTEAGUDA E CRAVADA COMO A PEDRA E A ESPADA,
INABALÁVEL , PROFUNDA, A ESPERANÇA É ESCRAVA

UMA PORRADA SÊCA…PÁ !!!
COMO A QUEDA DO MAGO SIMÃO

CONSUMIU TODA ENERGIA DA USINA DO MEU SER,
DEPOIS LIXOU E SOPROU O GIZ DA FÉ NO TACO DO JOGADOR
RESTA TALVEZ MORANDO ALI, NO CHACRA DO PRAZER,
ONDE O AMOR EVOLUI SE FAZ FOGO E SE CONSOME
QUEM SABE UMA RESPOSTA COM NEXO
PRA TODOS OS CONFLITOS DA ALMA
SUTILMENTE ESCRAVIZADA EM SEGUIDA CONDENADA,
AO EXÍLIO ABANDONADA E DA SAUDADE REFÉM.

UMA PORRADA SÊCA…PÁ !!!
COMO A QUEDA DO MAGO SIMÃO

NUMA GUERRA DE TITÃS, SOB A MIRA DA INVEJA
ACERTARAM MINHAS ASAS COM OS CANHÕES DA COBIÇA
ABATIDO LÁ NO ALTO, COMO FOI MAGO SIMÃO,
QUE LEVITAVA E VOAVA POR CIMA DE PEDRO O ZELOTE
E A CRUZ TORNOU-SE ENDÊMICA,
FORJADA EM SOLIDÃO DE CHUMBO,
SEM PORTA E SEM PODER VOLTARFAZENDO SEMPRE LEMBRAR,
SONHAR É LIVRE COMO O PENSAR MAS TAMBÉM LEVA À PRISAO

UMA PORRADA SÊCA…PÁ !!!
COMO A QUEDA DO MAGO SIMÃO

10 - Poeminha Lúdico

Paulo Vinícius e Hugo Leão

SOU EU QUEM PARA O AMOR ABRE A PORTA
E A MESMA QUE SE FECHA NA VIDA
QUATRO VEZES ASSIM ALMA MORTA
NO PRINCÍPIO E NO FIM ATREVIDA

SOU COMEÇO E O MEIO DA ESTEIRA
NA SAUDADE EU SÓ CHEGO NO FIM
APAREÇO NO CENTRO DA SOLEIRA
E NAS FEBRES SOU GÊMEA DE MIM

NA IGREJA SOU O PRIMEIRO DEGRAU
SOU O QUARTO MEMBRO DO SACI
DO COLIBRI EU SOU O ÚLTIMO SINAL
E A CAUDA DE UM BEM- TE- VI

EU VENHO TRÊS VEZES NO OUTONO
NO INVERNO UMA VEZ ME VERÃO
OUTRAS DUAS ESTAREI NO TEU SONO
E MAIS TRÊS, NO VÔO DA PAIXÃO

SOU O SOM DA VAIA, ALGAZARRA
BEM NO MEIO INSTALADA NA ESQUINA
SOU A CABEÇA O CORPO E AS GARRAS
DE UMA NEGRA AVE DE RAPINA

SE VC PRESTOU BEM ATENÇAO
NA SUA VIDA VIM DESDE O JARDIM
E NÃO HÁ VERBO SEM MINHA PRESENÇA
SEM SEU AMOR SOU CONSOANTE DISTANTE DE MIM

11 - Tempo de Saudade

Paulo Vinícius e Roberto Jacintho

SAUDADE DA CHUVA É VERÃO
SAUDADE DE SONO, CANSAÇO
SAUDADE DE PAZ, CONFUSÃO
SAUDADE DE BRISA, MORMAÇO
SAUDADE DO MAR É SERTÃO
SAUDADE DA TERRA É O ESPAÇO
SAUDADE DA LUA, PAIXÃO
SAUDADE DA RUA, PRISÃO
SAUDADE DO INTEIRO É PEDAÇO
SAUDADE EM VENCER É FRACASSO

SAUDADE EM DORMIR É TER SONO
SAUDADE DE PAI, ORFANDADE
SAUDADE DE DEUS, ABANDONO
SAUDADE DO TODO, METADE
SAUDADE DE AMOR, SOLIDÃO
SAUDADE DE ÁGUA É BEBER
SAUDADE DE SER, VOCAÇÃO
SAUDADE DA FÉ, ORAÇÃO
SAUDADE DE TER É PERDER
SAUDADE EM SONHAR É NÃO TER

NA VELOZ CIDADE DA LUZ
A CUMPLICIDADE DO TEMPO
COM A DISTÂNCIA, FEROZ COMPANHEIRA
SÓ À SAUDADE CONDUZ, CONDUZ

12 - Dans Tous Les Sens

Paulo Vinícius e Hugo Leão

TRADUÇÃO ADAPTADA: JEAN TESSIER .
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL ; QUINTETO UIRAPURU

COMBIEN DE SAVEURS GARDE-T-ON D’UN BAISER
ET COMBIEN D’AMOURS, DU DÉSIR SONT-IL NÉS
COMBIEN DANS LEURS SOUFLLE GARDENT UN TOUCHE SUBTIL
CET EFFLUVE SAISI ET COMME À LA DEROBÉE
QUE LEURS LÈVRES EN SE JOIGNANT N’ONT PAS RETENU

C’EST EN VAIN PARFOIS QU’ ON ESSAYE DE COLLER
LES MORCEAUX DU FILM AUQUEL ON PENSAIT RÈVER
ET SILENCIEUSES DE VOIX ENTENDUES
LES CORPS ET LES MAINS ONT TANT SECRETS
QUE POURTANT EN PENSÉE SI SOUVENT, ON A VUS

PAR QUELLE SENSATIONS AI-JE ÉTÉ ENCHANTÉ
POUR TE VOULOIR…. DANS TOUS LES SENS

C’EST TOUTES LES SENSATIONS QUI M’ONT CHOISI
POUR TE VOULOIR…. DANS TOUS LES SENS